Uma quadrilha de cinco homens foi presa no início da tarde desta quarta-feira (28), após assaltar a residência de um bombeiro militar, no Núcleo Nova Marabá, em Marabá, sudeste paraense. Entre os presos estava Lucas Dias Portela, o “Luquinhas”, de 23 anos, que era procurado desde março do ano passado pelo duplo homicídio de um pai e seu filho de apenas um ano e sete meses no município.

O assalto ocorreu durante a manhã, quando os cinco bandidos invadiram a residência, no núcleo Nova Marabá, e fugiram em seguida, em um HB20 branco, rumo ao Complexo São Félix. Logo após o assalto, o bando foi interceptado pela Polícia Militar, na cabeceira da Ponte Rodoferroviária sobre o Rio Tocantins.

Junto com Luquinhas, estavam Jonaci Carvalho Feitosa, de 45 anos, Luiz Fernando Conceição Teixeira, de 23, Gabriel Santos de Oliveira, de 18, e Jacsiel Sousa de Moura, de 20. Todos foram autuados na 21ª Seccional Urbana de Polícia Civil por tentativa de roubo, porte de arma de fogo e associação criminosa, crimes cujas penas, somadas, ultrapassam os 23 anos de prisão.

Quadrilha ainda tentou fugir, mas foi alcançada e presa pelos policiais (Reprodução)

Procurado

Lucas Dias Portela era procurado pela polícia desde março de 2020, quando foi indiciado pelo duplo homicídio do jovem Ailton Nascimento Lopes, de 23 anos, e do filho, Kauã Ribeiro Nascimento, de apenas um ano e sete meses, na Folha 25, Núcleo Nova Marabá.

Na época, o caso gerou revolta na sociedade pela enorme repercussão da frieza de Luquinhas, o que levou o Disque-Denúncia Sudeste do Pará a elaborar um cartaz de “Procurado” a fim de localizá-lo.

A PM informou que Luquinhas também seria suspeito da invasão a uma loja especializada em venda de armas e artigos para pesca e caça no município de Novo Progresso, sudoeste do Pará. Na ocasião, os ladrões abriram um buraco na parede da sala do cofre e furtaram de lá 54 armas, entre pistolas e revólveres. O crime foi registrado no início do último mês.

Outros dois assaltantes também possuem histórico na polícia. É o caso de Luiz Fernando Conceição Teixeira, que estava com tornozeleira eletrônica pelo crime de porte ilegal de arma de fogo, e de Gabriel Santos de Oliveira, que participou do assalto a um restaurante na Folha 27.

Os acusados foram encaminhados para a delegacia do município e permanecem à disposição da Justiça. Com eles, foram apreendidos uma pistola calibre 38 com cinco munições, e dois revólveres calibre 38, com seis munições.

 

 

Redação Integrada (com informações de Vinícius Soares, do portal Debate Carajás)

Comentários