A professora de educação infantil Angélica de Figueiredo Lima, 42 anos, morreu após ser torturada durante um assalto em sua própria residência, em São Gonçalo, Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

O assassino deu socos na vítima e a feriu com tesouradas e golpes de um ferro de passar roupa. Ela ainda conseguiu ligar para irmã, para pedir ajuda, mesmo muito ferida. Angélica foi levada ao Hospital Estadual Alberto Torres (Heat), mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Por volta das 20h, a educadora foi surpreendida por um homem que já estava dentro do imóvel. A Polícia Civil informou que agentes fazem diligências para esclarecer o fato.

Angélica trabalhava em uma creche particular em Niterói.

Fonte: Extra

Comments

comments