A Polícia Civil já desvendou o assassinato do técnico de enfermagem Ernandes Rodrigues Pereira, 25 anos, que foi executado a tiros na tarde desta terça-feira (12), por volta das 13h30, no Bairro Nova Vida II, em Parauapebas.

As investigações apontaram que Ernandes Rodrigues estava tendo um caso extraconjugal com uma colega de trabalho, também técnica de enfermagem, identificada como Antonia. Tanto a vítima, como ela – Antonia – eram casados.

Em entrevista a imprensa, a delegada Ana Carolina, informou que no momento do crime, Antonia  estava deixando Ernandes na casa do pai dele, quando dois homens sobre uma motocicleta Pop de cor branca chegaram e o que estava na garupa desceu e o chamou pelo nome, em seguida, disparou três vezes, acertando duas vezes a cabeça da vítima.

Vítima na cena do crime

AMEAÇAS

Sabedor da traição da esposa, Carlos, que era funcionário de uma mineradora há bastante tempo, chegou a ameaçar Ernandes por diversas vezes. “Certa vez, ele chegou a perseguir o irmão da vítima, que sabedor das ameaças contra o Ernandes, já estava indo o deixar e buscar no trabalho. As ameaças de Carlos contra Ernandes eram constantes”, informou a delegada.

Outra informação que a polícia repassou à imprensa é de que recentemente, Antonia havia pedido o divórcio a Carlos, que ligou a separação ao caso extraconjugal da esposa com o colega de trabalho.

O carro que Antonia dirigia, um Lancer Mitsubishi de cor branca, o mesmo que ela usou na tarde do crime para deixar o amante na casa do pai, foi periciado. O veículo foi encontrado na residência dela e do marido, com manchas de sangue e uma perfuração de bala.

A delegada esclareceu a reportagem que tanto Carlos, o marido traído, possível mandante do crime, ou até mesmo o executor, quanto Antonia, ainda não se apresentaram a polícia. “Diante das evidências, já trabalhamos no pedido de prisão preventiva do Carlos. Quando a Antonia, precisamos ouvi-la e não vislumbramos participação dela no crime”, disse a autoridade.

 

 

Comments

comments