Um caso absurdo de estupro contra uma criança de apenas 1 ano e oito meses foi registrado em Parauapebas na noite desta terça-feira (7). O principal acusado é o padastro do bebê, Deyvyd Renato Oliveira Brito, 31 anos de idade, que tinha a cobertura da própria mãe da vulnerável, Irislene da Silva Miranda, 28 anos. Ambos são naturais de Belém (PA) e estão presos.

A delegada Ana Carolina está cuidando do caso espantoso e repudiante. “O Hospital Municipal comunicou a polícia que havia dado entrada por lá uma criança de 1 ano e oito meses em estado gravíssimo de saúde. Primeiro a mãe relatou que havia deixado a criança brincando pulando em cima da cama e a mesma havia caído, batendo a cabeça ao chão. Ela teria ligado a televisão e percebeu que a criança ficou fraca e desfaleceu, foi aí que resolveram levar o bebê ao hospital”, afirmou a delegada.

Mediante o gravíssimo estado de saúde, a criança foi encaminhada para a zona vermelha do hospital, onde somente as pessoas em estado delicado de saúde ficam. Uma técnica em enfermagem bastante experiente, ao tirar a fralda da criança, percebeu que havia lesões assustadoras na vagina e ânus, que davam indícios de que a criança havia sido abusada sexualmente. Ela foi levada para a sala de suturação e lá foi preciso a intervenção de uma equipe do Samu para reanimar a criança, procedimento também chamado de ressuscitação.

O bebê precisou ser entubado e caso sobreviva, deverá ser encaminhado para Marabá ou Belém. “Depois que a polícia chegou ao local, uma médica aconselhou a mãe a contar a verdade, pois precisava fazer uma tomografia do crânio da criança, para então saber o que realmente tinha acontecido. Na presença dos Policiais Militares e da equipe de enfermagem, a mãe contou que foi comprar carne e quando voltou a criança já estava muito mau no colo do padastro, ele a entregou e pediu para a mãe lavar as partes intimas da menor, pois ela estava toda suja. No banho, a criança estava muito mole e o padastro fez massagem cardíaca, foi aí que acionaram um vizinho para que os levassem para o hospital”, enfatizou Ana Carolina.

Delegada afirma que mãe acobertava o marido tarado

“Após a sensibilização da médica, a mãe contou que não era a primeira vez que o padastro tinha relações sexuais com a criança e toda vez que ela – mãe – se negava a ter relações sexuais com Deyvyd, ele mantinha relações com a bebê. Ela tinha conhecimento de tudo, inventou a versão de que a criança havia caído da cama para acobertar o parceiro”, afirmou a delegada.

Tanto o padastro Deyvyd, quanto a mãe, permanecem presos à disposição da justiça. A autoridade explicou que o padastro será acusado de tentativa de homicídio e dolo eventual. A mãe ainda vai responder também, pois foi omissa e não procurou ajuda da polícia.

Secretaria de Saúde de Parauapebas se posiciona sobre o quadro clínico da criança

A respeito do quadro de saúde da criança abusada sexualmente, a Prefeitura de Parauapebas, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), informa que:

A criança foi levada ao Pronto Socorro municipal pela mãe e pelo padrasto nesta terça-feira (07/01), às 14h20, com um quadro gravíssimo, apresentando parada cardíaca. O médico plantonista deu início à reanimação dela, o procedimento durou aproximadamente 20 minutos e foi realizado com sucesso. Em seguida, a criança foi entubada e conduzida para ventilação mecânica, por conta do coma profundo.

De imediato, também foi solicitada vaga de UTI para a criança, que recebeu atendimento de uma equipe multidisciplinar que conta com pediatra e neurologista. A criança segue acompanhada por esses profissionais e quando estiver com o quadro de saúde mais estável será transferida para o Hospital Regional de Marabá.

Ela ainda apresenta sinais de instabilidade, como pressão baixa e alteração da oxigenação do sangue. A equipe médica atua para conseguir a estabilidade necessária, assim que a criança estiver em condições de viajar, será transferida para a UTI do regional, em Marabá.

Assessoria de Comunicação da PMP

Comments

comments