“Era um momento de fraqueza, a culpa é do demônio”, tentou se justificar Alderi de Araújo Ferreira, 54 anos, preso na manhã desta terça-feira (17) sob acusação de estupro de vulnerável, tendo como vítima, a própria neta de apenas sete anos de idade.

Este triste fato foi registrado em Parauapebas e só foi descoberto na noite deste domingo (16), quando o próprio filho de Alderi o flagrou praticando sexo oral na criança.

De acordo com a delegada Ana Carolina, titular da Delegacia de Atendimento a Mulher (Deam), a avó da vítima afirmou que naquela noite tinha ido tomar banho e deixou Alderi tomando conta da criança. Minutos depois, o filho flagrou-o praticando o ato sexual na neta. “Ele tirou a calça e a calcinha da criança e praticou sexo oral nela, enquanto ela lacrimejava nos olhos e balançava a perninha pedindo para ele parar”.

Ao ser flagrado, Alderi fugiu do local. A avó, preocupada com a situação, perguntou a criança se havia acontecido aquela situação antes e ela revelou que toda vez que a avó dormia, o “tarado” ia até ela, se ajoelhava, e praticava o ato insano. Isso teria ocorrido por diversas vezes.

“Diante de toda a situação, a vulnerabilidade da criança, tratamos de o prender, uma vez que ele poderia voltar a casa e praticar os atos sexuais de novo. Aqui ele afirmou que foi culpa do demônio, mas não existe isso, o que existe é a maldade. Também nos confidenciou que eles chegaram a procurar um pastor e que o evangélico havia dado uma penitência para perdão e aconselhou-os a não procurar a polícia. Nessas situações ninguém tem que procurar pastor e sim autoridades, Conselho Tutelar e polícia”, finalizou a delegada Ana Carolina.

Alderi permanece preso à disposição da justiça e caso seja condenado, deve ficar preso por mais de 10 anos.

Comments

comments