Parauapebas empata em casa contra o Galo Elétrico e Léo Goiano já pensa no Águia de Marabá

O Parauapebas Futebol Clube não conseguiu sair do empate sem gols em casa no estádio Raimundo Roseno, o Rosenão, contra a bem montada equipe do Independente de Tucuruí, que segue invicta no Parazão 2018. O time montado por Léo Goiano teve dificuldades de furar a tática do adversário, que bem postado atrás, investia em contra ataques perigosos. O jogo ocorreu na noite desta quarta-feira (24).

Mas agora, o técnico Léo Goiano já pensa em acertar o time para a próxima partida contra o Águia de Marabá, no estádio Rosenão, em Parauapebas, às 16 horas. Ressalta-se que o mando de campo é do Águia, haja vista a falta de condições de jogo do Zinho Oliveira. O Portal Papo Carajás bateu um papo rápido com os dois técnicos, Leó Goiano do Parauapebas e João Galvão do Águia.

Léo Goiano disse que a dificuldade imposta contra o Independente já era esperada. “Sabíamos que íamos enfrentar uma grande equipe, mas a proposta de jogo deles foi de forte marcação e investir nos contra ataques. Infelizmente o nosso esquema não conseguiu furar a forte marcação deles, tivemos chances e eles também, mas ficou no 0 a 0. Agora é pensar no Águia, que vem bem no campeonato e com certeza enfrentaremos dificuldades”.

Já João Galvão, disse respeitar o Gigante de Aço, mas espera sair vitorioso do Rosenão. “Sabemos da qualidade técnica do time do Parauapebas e jogar no Rosenão nunca foi fácil. Vamos jogar com os pés no chão, mas em busca da vitória para melhorar a campanha”, ressaltou.

O Jogo do Parauapebas x Independente

Mas em casa e com apoio da torcida, o Parauapebas mirou o gol, pelo menos no começo. Logo aos 7 minutos em um lance confuso, a torcida pediu pênalti no atacante Monga, mas o juiz entendeu que foi lance normal. A jogada seguiu e o lateral do Pebas, Tiago Baiano, cruza mais uma bola na área do Independente, Monga tenta novamente e a bola sobra para Tiago Baiano, que chuta em cima da zaga.

Com a chegada do Gigante de Aço, o Independente passou a se comportar melhor no jogo, com toques de bola rápidos e valorização da posse de bola. Aos 16 minutos, por pouco a equipe de Tucurui não abriu o placar. Após uma bela troca de passes no meio de campo, o Galo Elétrico (como é chamado o Independente) chegou em um chute cruzado do lateral Léo Rosa, a bola passou com perigo em frente ao gol de Bruno, mas ninguém completou para as redes.

Entre os 20 e 30 minutos, o jogo continuou com sua atração principal, muita marcação e briga pela bola. Aos 30 da primeira etapa o Independente perde uma chance incrível. Ao recuperar uma bola, o meio de campo do Galo Elétrico deixa Fabricio (10) homem a homem contra um defensor do Parauapebas, o meia corta para a esquerda e chuta com perigo a direita. O goleiro Bruno só torce para que a bola vá para fora, e assim foi.

Depois dos 30 minutos só se viu Independente no ataque. Aos 33 minutos, Leandrinho chuta e a bola resvala na zaga do Gigante de Aço sobrando para Alexandre Pinho, que chuta para a grande defesa de Bruno.

Aos 35 minutos, Monga se choca contra o goleiro Paulo Rafael do Independente. O juiz decidiu parar a partida e Paulo Rafael foi substituído por Dida. Até o final do primeiro tempo, o jogo não teve mais perigo de gol.

2º Tempo

Os dois times voltaram para a segunda etapa sem alterações. Logo aos 10 minutos, Fabricio do Independente leva o primeiro cartão amarelo da partida. Só aos 15 minutos a equipe da casa ofereceu ameaça ao Independente, com um chute do capitão Augusto Recife para a defesa de Dida.

Aos 17 minutos, a primeira substituição do jogo. Saiu o atacante Rogério Maranhão (11) para a entrada da prata da casa Maninho, com a camisa número (18). Aos 20 minutos o Parauapebas conseguiu dois escanteios seguidos, mas não ofereceu risco para a meta de Dida.

Aos 22 minutos, o Idependente também fez uma alteração. Saiu Chaveirinho (11) para a entrada de Sheldon (16). No decorrer, entrou Ângelo (16) no lugar de Evandro (10) no Parauapebas.

Com um jogo truncado, as substituições eram alternativas em busca do primeiro gol. Aos 31, Augusto Recife recebe cartão amarelo por uma entrada dura. O Independente apostou em Guly (15) no lugar de Fabricio (10), isso já aos 34 minutos da segunda etapa.

Já aos 31, Léo Goiano coloca Heliton (21) no lugar de Monga (9), que não foi bem na partida.

Ao final da segunda etapa, o Parauapebas chegou com perigo. Ângelo cabeceia e a bola sobra para Heliton que chuta em cima da zaga, depois, Maninho tenta, mas a zaga coloca para escanteio. Foram 4 minutos de acréscimo, mas o jogo ficou mesmo no 0 a 0 e fim de papo no Rosenão.

O Parauapebas soma apenas 2 pontos em 9 disputados.

 

Comments

comments

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password