A operação “Tolerância Zero” ocorrida no último final de semana na Capital do Minério deixou os meios de segurança envolvidos satisfeitos com os resultados, considerados positivos. Houve diminuição no número de acidentes de trânsito, prisões e zero homicídios. A intenção é que as direções dos órgãos se reúnam a cada 15 dias para monitorar resultados e montar novas estratégias.

Mediante ao resultado positivo, por meio de uma aliança entres os envolvidos na grande ação conjunta de segurança, mais patrulhões ocorrerão em Parauapebas, já com a intenção de dar mais segurança a folia de Carnaval, que ocorre no mês de Fevereiro. Só da Polícia Militar, mais de 500 homens estiveram envolvidos, como vai narrar o capitão da PM, Faustino. “Tivemos a participação de todos os órgãos municipais e estaduais da segurança pública. 24 policiais reforçaram o contingente aqui da cidade, por meio do CPR comandado pelo tenente coronel Juniso Honorato. No total, tivemos o trabalho de 518 policiais militares em três frentes, sendo que a primeira fiscalizou bar, similares e casas noturnas, a segunda frente com barreiras no trânsito juntamente com DMTT e Detran, já a terceira frente fiscalizando periferias, onde as viaturas não conseguem chegar, a região da VS-10, Complexo Altamira e Tropical, além de Primavera, Liberdade e demais bairros”, afirmou o capitão.

A PM revistou 289 carros, fiscalizou 393 motos, 63 estabelecimentos comerciais e bares foram averiguados com suas documentações, dos quais 20 foram fechados e 734 pessoas foram abordadas. O primeiro momento foi de prevenção.

Para o delegado diretor da 20ª Seccional de Parauapebas, Élcio de Deus, a operação foi um sucesso e ideal para fiscalizações. “Órgãos de segurança ficaram entusiasmados em dar continuidade a esse trabalho. Regularmente, o grupo vai fazer reuniões periódicas, corrigir falhas da operação. A Polícia Civil dá apoio a toda a operação, mas também se atenta para fazer a fiscalização do DPA, que é o Departamento de Polícia Administrativa, que cuida do alvará de funcionamento de bares e similares. Nessa primeira etapa a polícia optou por não fechar os estabelecimentos por conta do DPA. Fizemos a notificação desses proprietários e convidamos para comparecerem à Delegacia e regulamentar o trabalho”, observou a autoridade.

Ainda para Élcio, a operação apresentou resultados para a Polícia Civil e para os demais órgãos, evitando acidentes e ajudando a apreender veículos irregulares para o Estado. “Temos reflexo diretamente na diminuição de registros de sinistros para a PC”, disse.

O diretor do Departamento Municipal de Trânsito e Transportes (DMTT), Monteiro, informou que foi registrado apenas um acidente. “É o reflexo dessa operação em conjunto que traz segurança para a sociedade e mais segurança para os agentes que estão na operação. Tivemos um número maior de policiais militares. Nesses dias o DMTT fez 150 abordagens, 120 infrações registradas e sete veículos removidos para o pátio. O objetivo foi prevenção”, salientou.

O capitão Macedo, sub comandante do Corpo de Bombeiros em Parauapebas, disse que a fiscalização deles foi voltada a questão da segurança de ambientes com grande aglomeração de pessoas. O trabalho é de verificar os estabelecimentos que estão licenciados com o alto de vistoria do CB. Alguns estabelecimentos bem frequentados em Parauapebas estavam com o alto de vistoria atrasado e outros não estavam condizentes com o que estava alegado no alto de vistoria. Como a operação tem caráter fiscalizatório, tivemos a responsabilidade de cumprir com as observações, checar extintores, manter saídas de emergência livres. Infelizmente, ainda existe muita irregularidade. Por isso, fazemos um apelo para os proprietários, que procurem se legalizar, para que se preocupem em estar ok com a legislação, você deve ter preocupação com a segurança do cliente. A prevenção contra o incêndio é justamente para isso, para evitar que você tenha prejuízo, mas também resguardar vidas dos clientes”, finalizou Macedo.

 

 

 

Comments

comments