Uma mulher identificada como Jaira Gonçalves de Arruda, de 42 anos, foi presa na manhã dessa segunda-feira (9) suspeita de matar envenenada a enteada, uma criança de apenas 11 anos, para ficar com a herança dela avaliada em R$ 800 mil. O caso ocorreu na cidade de Cuiabá, no Mato Grosso.

Segundo a polícia, Mirella Poliane Chue de Oliveira morreu no dia 14 de junho deste ano e foi envenenada aos poucos durante dois meses. Os exames de necropsia encontraram a substância no sangue da vítima.

 

A princípio, o hospital suspeitou de meningite, uma vez que nesse período, Mirella foi internada pelo menos nove vezes com sintomas muito parecidos. Os médicos chegaram a suspeitar que a criança havia sido abusada sexualmente, por isso, a polícia entrou no caso, mas essa hipótese foi logo descartada. Para a policia, o intuito de Jaira era ficar com a herança que a menina ganhou pela morte da mãe, que morreu devido a um erro médico.

 

Pela lei, a menina só poderia mexer no dinheiro aos 24 anos, mas a madrasta queria ter acesso ao valor e decidiu colocar o plano macabro em ação. Até o ano passado, Mirella morava com os avós, mas teve que se mudar para a casa do pai e da madrasta depois que os idosos morreram.

 

Em depoimento, Jaira disse que ela e o pai da criança viviam juntos desde que a menina tinha 2 anos, a suspeita chegou a dizer que se sentia mãe da vítima. A frieza da mesma, chocou os policiais e gerou revolta entre os moradores da capital. As autoridades informaram que Jaira permanecerá presa à disposição da justiça.

 

 

 

Fonte: Dol

 

Comments

comments