Marabá e Itupiranga: Derrocamento do Pedral do Lourenço começará em julho

 

O secretário de Estado de Transportes, Pádua Andrade, apresentará, na próxima segunda-feira (11), o projeto das obras de dragagem e derrocamento da via navegável do rio Tocantins, o chamado Pedral do Lourenço, durante audiência pública que ocorrerá às 9h, no auditório do Ministério Público do Estado do Pará, em Marabá, no Sudeste do Pará.

O titular da Setran vai esclarecer à sociedade civil os benefícios da obra para a economia do Estado do Pará. Será a primeira de uma série de audiências que acontecerão antes do início das obras, previstas para julho deste ano. O evento será presidido pela Promotora de Justiça do Meio Ambiente, Habitação e Urbanismo, Josélia Leontina de Barro Lopes.

Segundo Pádua Andrade, a obra do Pedral do Lourenço parece simples, pois consiste basicamente em desgastar os pedrais que impedem a navegação de embarcações cargueiras durante os meses de setembro a novembro, período em que o rio fica mais raso, mas é uma obra de grande envergadura, e que depende de muitos pontos para que, efetivamente, seja executada.

 

 

“A navegação permanente na hidrovia Tocantins-Araguaia vai acelerar o desenvolvimento regional para a implantação de um novo conceito logístico que integrará a hidrovia aos modais rodoviário e ferroviário, garantindo o escoamento da produção agrícola, pecuária e mineral, dentre outras, dos Estados do Pará, Maranhão, Tocantins, Goiás e Mato Grosso”, pontuou o secretário.

Pádua destaca que a obra do Pedral do Lourenço ganhou importantes avanços com a atuação de Helder Barbalho, governador do Estado, na época ministro da Integração Nacional. “Ele que participou de diversas reuniões com o Dnit, cobrando celeridade no processo, inclusive as formas de agilizar o processo de licenciamento do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), que contou com a participação de representantes do governo e da empresa responsável pelas obras”, finalizou.

 

 

 

(Com informações da Agência Pará)

Comments

comments

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password