As obras da fundação PARÁPAZ, em Parauapebas, foram concluídas e a empresa responsável pela execução dos serviços realizou a entrega parcial do prédio durante cerimônia realizada no gabinete do prefeito, na quinta-feira (19). A inauguração da estrutura, que é gerenciada pelo governo estadual, deve ocorrer entre o fim de outubro e início de novembro.

De acordo com o engenheiro da Secretaria Municipal de Obras (Semob), André Avillar, com a entrega parcial uma comissão de profissionais da Prefeitura farão uma vistoria em toda a obra. A titular da Secretaria Municipal da Mulher (Semmu), Angela Silva, fez um resgate dos desafios enfrentados pela gestão para conseguir essa conquista para o município e região de Carajás.

“É uma obra muito esperada, pois, além dos benefícios para a comunidade, irá possibilitar um atendimento integrado as mulheres, crianças e adolescentes vítimas de violência. Por muito tempo a obra, que foi construída pelo governo do estado, ficou paralisada. A retomada se deu por muita insistência do governo municipal, que teve muitas dificuldades na gestão anterior do governo do estado, mas, quando o governador Hélder Barbalho assumiu, ele se comprometeu em dar continuidade aos trabalhos e hoje temos esse sonho realizado”, afirmou a secretária.

O prefeito Darci Lermen participou da cerimônia e destacou a importância da implantação do PARÁPAZ em Parauapebas, para o fortalecimento das políticas públicas voltadas à mulher, que já são executadas pela Semmu, destacando que os serviços serão prestados para toda a região de Carajás.

Representantes do Conselho Municipal da Mulher também participaram da cerimônia, assim como os diretores da empresa Construterra, responsável pela execução dos serviços.

“O processo licitatório para esta obra ocorreu em 2013, mas os serviços só iniciaram em 2015 pela empresa que ficou como primeira colocada no certame. Em 2016 as obras foram paralisadas e continuaram assim por dois anos. Nós, como segundo colocados no certame, fomos convidados a receber essa obra. A empresa anterior tinha feito somente o baldrame (alicerces). Nós encaramos o desafio e concluímos a obra com o apoio do governo municipal”, detalhou Marlúcio Santos, proprietário da Construterra.

Segundo a empresa, que é de Parauapebas, com a obra foram gerados 140 empregos diretos e indiretos.

Texto: Karine Gomes/Fotos: Felipe Borges / Lucas Dias/ Assessoria de Comunicação – Ascom/PMP

Comments

comments