A Polícia Civil, em Parauapebas, acredita que o jovem Thiago Gomes Feitosa, de 21 anos, tenha sido assassinado numa possível “casinha” – quando a pessoa é atraída a um determinado local para morrer – na noite desta sexta-feira (28), por volta das 22h30, no alto do morro do bairro Betânia, precisamente em frente a residência de número 1390 da rua Bom Jesus.

 

 

A jovem Raila Rodrigues de Sousa Carvalho, que convivia com Thiago Gomes em uma casa no bairro Novo Horizonte, prestou depoimento na Delegacia de Parauapebas e esclareceu como tudo ocorreu.

 

Naquela noite, Thiago havia recebido uma ligação. A pessoa do outro lado da linha o convocava para ir até o alto do morro do bairro Betânia, às proximidades da caixa d’ água daquela localidade. Por sua vez, Thiago chamou Raila para acompanhá-lo.

Quando estavam a caminho do local, Raila afirma que Thiago conversou com um rapaz de prenome Wandson, que passou a acompanhá-los rumo ao alto do morro. Já nas proximidades do destino, eles foram surpreendidos por dois homens, sendo que um estava armado com revólver. Raila afirma que Thiago pegou em uma das mãos dela e chamou-a para correr, ao mesmo tempo, Wandson também correu para rumo ignorado.

 

Durante a fuga, Raila afirma que ouviu um barulho semelhante a de um tiro e percebeu que o companheiro havia sido acertado, ela, caiu a alguns metros de Thiago. A mulher afirma que percebeu um homem de cor vermelha se aproximando de Thiago e efetuando mais um tiro, e fugindo do local em seguida.

A vítima ainda recebeu atendimento médico no Hospital Municipal de Parauapebas, mas não resistiu aos ferimentos. Ele deixa uma filha de apenas quatro meses de idade.

 

 

Na Delegacia, por meio de familiares, a polícia tomou conhecimento que Thiago era usuário de entorpecentes.

 

 

 

Comments

comments