A Polícia Civil, em Parauapebas, tem mais um caso intrigante de homicídio para investigar. Por conta de uma briga envolvendo discordância da construção uma cerca entre propriedades, Francinaldo Sousa das Chagas, nascido em Santa Inês, de 29 anos, que estava em Parauapebas há quatro meses, foi morto com três tiros na tarde desta quinta-feira (15), no feriado de Adesão do Pará.

Segundo informações do pai da vítima, Antônio Pereira da Silva, 55 anos, que já tem a propriedade na área conhecida como Tapete Verde há 20 anos, distante cerca de 30 quilômetros de Parauapebas, havia um vizinho de nome Gerson que insistia em construir uma cerca passando pela frente da casa dele e pegando uma parte do seu sítio. “Ele afirmava que o Incra havia feito um novo corte na terra e estava obedecendo a nova demarcação. Eu cheguei a ir ao Incra, e eles falaram que não havia nada disso e o rapaz lá pediu para eu ir procurar os meus direitos e processar o meu vizinho, mas preferi tentar resolver na conversa”.

 

Antônio, pai da vítima

 

Antônio Pereira ainda afirmou que Gerson saiu conversando na região que havia vendido a terra para uma pessoa, bem como também havia vendido gado, galinhas, e saiu do local chorando. “Eu ouvi essa conversa e ele disse que nós o ameaçamos, mas isso é mentira. Inclusive, tinha uma audiência no Fórum nesse ano para eu comparecer e prestar meu depoimento por uma queixa feita por ele”.

A propriedade teria sido vendida para um homem conhecido como Leonardo, que de acordo Antônio, já o havia ameaçado de morto. “Um dia estava atrás de mim e disse que ia construir a cerca e se eu reclamasse, ia levar bala”.

FRANCINALDO MORRE

Francinaldo Sousa das Chagas chegou à Parauapebas há quatro meses, vindo de Itaituba (PA). Ele soube da confusão que os pais estavam enfrentando na propriedade rural.

Quando Francinaldo chegou, observou que o novo proprietário da propriedade vizinha, Leonardo, havia feito a cerca não aceita pelos pais dele. De imediato, tratou de desmanchá-la.

Na tarde de ontem (15), Leonardo e mais alguns homens chegaram em um carro preto a propriedade dos pais de Francinaldo. Leonardo atirou uma vez contra a vítima, acertando-a nas costas, Francinaldo ainda correu, mas caiu e recebeu mais dois tiros fatais.

 

Francinaldo em foto de identidade

No decorrer, o assassino fugiu com os comparsas.

 

Para Antônio, o grande mentor do assassinato é o seu antigo vizinho, Gerson. “Acredito que essa conversa de venda da propriedade é mentira. Ele contratou esse cara aí pra matar meu filho”.

A Polícia Civil está procurando o autor do homicídio, mas até agora, ele não foi encontrado.

 

 

 

 

 

 

Comments

comments