Agência Nacional dos Árbitros se manifesta sobre pênalti marcado contra o Paysandu

 

O jogo que representou a eliminação do Paysandu na Série C e o acesso do Náutico à Série B de 2020 segue sendo comentada a nível nacional, mas não pelo rendimento das equipes. O tema principal tem sido o pênalti polêmico marcado por Leandro Pedro Vuaden. Nesta segunda-feira (9), a ANAF (Associação Nacional dos Árbitros de Futebol) soltou uma nota defendendo o seu filiado.

O gaúcho Vuaden tem sido alvo de críticas – algumas de forma veemente – por conta da marcação do pênalti. Muitos apontamentos, inclusive, foram feitos na imprensa nacional, como o caso do comentarista especialista de arbitragem, Sandro Meira Ricci – último brasileiro a apitar em uma Copa do Mundo -, que afirmou ter sido “muito estranha a marcação do pênalti”.

 

Em nota assinada pelo presidente da ANAF, Salmo Valentim da Silva, a instituição foi categórica ao pontuar que “além de irresponsável, seu comentário [de Sandro Meira Ricci] é leviano e desrespeitoso”. Ainda no documento, a associação disparou contra o próprio Ricci: “O ex-árbitro opta em ir na contramão, utilizando a importância do canal que o contratou para jogar a opinião pública contra um pai de família”, e segue:

“Estranho não é marcar um pênalti aos 49 minutos do segundo tempo com a certeza de que a infração ocorreu, mas demorar quase 15 minutos em um Fla x Flu para tomar uma decisão. Ou então aplicar dois cartões amarelos ao mesmo jogador durante uma partida. Ou, quem sabe, ter sido, entre os colegas e até pela própria imprensa, um dos árbitros mais contestados da história recente do futebol, justamente pelo que fazia dentro de campo”.

No início da nota, a ANAF destacou que “não nos [ANAF] cabe questionar a marcação [do pênalti]”, mas finalizou com a seguinte declaração: “Declarar que foi estranha a marcação do pênalti do jogo etnre Náutico e Paysandu tem o objetivo claro de jogar a vitoriosa carreira de Leandro Vuaden na vala comum, bom como a arbitragem brasileira, levantando suspeições como essa. E a ANAF não vai permitir que isso aconteça!”.

Veja abaixo a nota na íntegra!

Comments

comments

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password